Base do Imposto sobre a Propriedade

Dependendo de vários fatores, principalmente do local, os impostos sobre a propriedade representam uma parte do pagamento total do imposto. No entanto, é importante lembrar que essas receitas são usadas localmente para recursos e serviços vitais, como escolas públicas, proteção policial e contra incêndios, estradas, parques, ruas, esgotos e / ou serviços de tratamento de água, remoção de lixo e bibliotecas públicas. Em troca, uma comunidade vital com essas comodidades importantes ajudará a manter o valor de sua propriedade; Assim, os impostos sobre a propriedade e os valores imobiliários têm uma relação simbiótica (pelo menos teoricamente).

É uma boa idéia para obter a velocidade com base na tributação da propriedade, se você é um proprietário ou está planejando se tornar um.

Determinação de Taxas na Tributação da Propriedade

Avaliar terras e edifícios é uma das formas mais antigas de avaliação nos Estados Unidos. Anteriormente, os impostos sobre a renda e as vendas eram usados pelos governos locais como impostos baseados em propriedade para financiar a maioria de suas atividades.Os impostos sobre propriedade continuam sendo a maior fonte de renda para os governos locais.

Limitações à Tributação Imobiliária

Constituições ou estatutos estaduais comumente impõem restrições sobre taxas ou honorários. Muitos estados estabelecem uma taxa máxima para cada classe governamental (por exemplo, escola, cidade ou município). Como os imóveis podem estar localizados em distritos fiscais sobrepostos (por exemplo, escolas e cidades), a alíquota total pode variar de um bairro para outro.

Isso resulta em mais de uma autoridade fiscal local calculando taxas de imposto sobre a propriedade. Muitas jurisdições adicionam essas taxas, resultando em uma carga tributária simples chamada de imposto "consolidado", "global" ou "composto".

Tributação "Ad Valorem"

Alguns impostos são baseados em uma proporção do valor da propriedade avaliada. Estes são conhecidos como impostos "ad valorem". Para chegar a um montante preciso de imposto, é necessário fazer periodicamente uma avaliação para o sujeito sujeito a avaliação. Quando o valor da propriedade do proprietário da propriedade muda, o mesmo acontece com o valor avaliado ou avaliado A maioria dos impostos sobre a propriedade pertencem a essa variedade "ad valorem". Os impostos sobre a propriedade do Ad Valorem baseiam-se na posse ou posse da propriedade. Os proprietários da propriedade devem pagar esses impostos se estiverem usando a propriedade ou não, ou se isso gerar renda para eles ou não.

Avaliação do Imposto sobre a Propriedade

Uma avaliação de imposto sobre a propriedade é basicamente uma estimativa de qual parte da propriedade é de maior valor.Esta avaliação de propriedade ajuda a decidir qual parte da garantia de imposto sobre a propriedade será cobrada do proprietário. Uma vez que isso tenha sido determinado, o valor é multiplicado pelas alíquotas de imposto, muitas vezes referidas como a "Taxa Mil", para determinar quanto imposto o proprietário deve pagar por essa parte. Muitos estados usam o valor total de mercado (ou uma fração dele) como base para suas avaliações.

Apesar desses termos semelhantes, a maioria dos estados se concentra em "valor de mercado". O valor de mercado é a quantidade de dinheiro que um comprador típico e informado (não relacionado ao vendedor) pagaria por um determinado terreno. Para calcular o valor de mercado de uma parte da propriedade, um avaliador determinará se houve mudanças no mercado imobiliário onde a propriedade está localizada. O avaliador examinará quais tipos diferentes de propriedade estão sendo vendidos, para custos de construção local, despesas operacionais normais, como serviços públicos, taxas de aluguel próximas e inflação. Alterações ou variações nesses fatores podem alterar a taxa de avaliação da propriedade.
Os especialistas "avaliam" a propriedade para fins de avaliação fiscal. O "Charge" também é conhecido como o seguinte:

• Valor real
• Valor de avaliação
• Valor de mercado justo e razoável
• Valor comercial justo
• Valor total e justo
• Valor total
• Valor justo
• Valor comercial
• Valor verdadeiro


Valor comercial

1) O preço pelo qual um comprador está pronto e disposto a comprar e um vendedor está pronto e disposto a vender.
2) Preço de mercado.

Valorizando a Propriedade Pessoal

Para fazer avaliações para a maioria das propriedades pessoais, os avaliadores usam as informações contidas nas declarações de propriedade pessoal, apresentadas pelo proprietário da propriedade. Se o proprietário do imóvel não fornecer informações sobre o valor de sua propriedade pessoal, o avaliador estimará o valor da propriedade usando informações e técnicas de avaliação aceitáveis, levando em consideração fatores como: idade, custo e tipo de propriedade. Dependendo do estado ou localidade, as taxas de imposto para propriedades pessoais devem ser as mesmas que as de imóveis, ou podem ser diferentes.

Tipos de imóveis para fins fiscais

Abaixo, você encontrará informações importantes sobre Imóveis e bens pessoais, e para onde ir se tiver mais perguntas. Lembre-se, é sempre melhor consultar um advogado imobiliário local antes de tomar decisões fortes no campo imobiliário, para garantir que você tenha os regulamentos legais mais atualizados à sua frente.

Resumo de Bens Móveis e Imóveis

Existem duas categorias básicas de propriedade: real (imobiliário) e pessoal (mobiliário). Os procedimentos de avaliação e a taxa de imposto podem variar entre essas duas categorias. Propriedade real, em geral, é terra e tudo colocado ou permanentemente ligado a ela (por exemplo, poços ou edifícios). Estruturas como casas, apartamentos, escritórios e edifícios comerciais (e o terreno a que estão sujeitas) são exemplos típicos de propriedades imobiliárias.
Basicamente, a propriedade pessoal é qualquer propriedade que não seja propriedade real. A propriedade pessoal não está permanentemente ligada à terra. Na maioria dos casos, é móvel e não dura tanto quanto um imóvel. Bens pessoais, ou bens pessoais, incluem: veículos, equipamentos agrícolas, joias, utensílios domésticos, materiais, entre outros.

Tipos de Bens móveis (Propriedade Pessoal)

A propriedade pessoal é dividida em "tangível" e "intangível". Propriedade pessoal tangível é apenas isso: aquele que possui uma forma física. Pode ser visto, tocado e movido. Exemplos de propriedades tangíveis incluem: roupas, livros e computadores. Por outro lado, a noção de propriedade pessoal intangível é uma abstração. Eles geralmente não têm forma física (além de certificados ou registros ou anexos). Estes incluem ativos como: patentes, marcas registradas, títulos e valores mobiliários.

Classes de Propriedade

Além dos tipos básicos de propriedade, ele é agrupado em várias classes e subclasses para fins de avaliação fiscal. Classes são baseadas nos usos da propriedade. Essas listas de turmas variam consideravelmente de estado para estado. Por exemplo; um estado deve ter as seguintes classes de propriedade.

A classificação das propriedades de acordo com os diferentes usos ou tipos serve como base para ajustar a alíquota do imposto.
Por exemplo, um estado deve ter as seguintes classes de propriedade:

• Classe 1: Agricultura, pastagem, gado, notas, bônus, ações, contas a receber
• Classe 2: Propriedades Comerciais
• Classe 3: Veículos a motor
• Classe 4: Bens pessoais, exceto veículos motorizados
• Classe 5: Fincas ou estadias residenciais
• Classe 6: Pântanos e terrenos baldios

Valorizando Imóveis

Existem três métodos principais para avaliar ou avaliar o valor de um imóvel. Essa diferença é baseada no tipo de propriedade que está sendo avaliado.
1. Método de custo (ou substituição)
Esse método é usado para avaliar construções ou outras estruturas. Os avaliadores estimam que custaria tanto, usando as taxas atuais de material e mão de obra, para substituir uma dada estrutura. Um avaliador pode deduzir a depreciação razoável da propriedade, mas adicionando o valor da terra. Essa abordagem é mais apropriada quando se trata de uma avaliação de uma propriedade nova e única ou especializada. Também é útil quando não há vendas significativas de propriedades comparáveis.
2. Método de Renda
Segundo esse método, os avaliadores estimam o valor da receita de uma parte da propriedade, se a propriedade estiver sendo usada para gerar uma receita. Este método é usado para: departamentos, lojas, armazéns, centros comerciais e edifícios de escritórios. Para chegar a uma avaliação, o avaliador considera os impostos comerciais, o valor da renda que a propriedade pode gerar, os custos de seguro, as taxas de vacância, as despesas operacionais, os custos de manutenção e as taxas de juros cobradas por empréstimos monetários para executar melhorias ou reparos na referida propriedade.
3. Método de mercado ou comparação de vendas
Aqui, as vendas de propriedades semelhantes são compradas entre elas e ajustadas para as diferenças. A maioria das propriedades residenciais é avaliada usando o método de comparação de mercado ou vendas. Essa abordagem é semelhante ao método usado pelos bancos para avaliar as propriedades quando elas consideram conceder uma hipoteca.
A maioria dos estados avalia várias classes ou tipos de imóveis usando outras abordagens de avaliação. Por exemplo, terras cultiváveis ou florestas florestais devem ser valorizadas de acordo com seu uso ou nível de produtividade. Os inventários de negócios devem ser valorizados na base dos registros de negócios, bem como o status de suas máquinas e equipamentos. E os avaliadores devem combinar avaliações para chegar a uma avaliação justa de uma parte da propriedade.
Os contribuintes têm direito a avaliações justas. Da mesma forma, nenhuma classe de propriedade deve ser superestimada ou subvalorizada em relação a propriedades semelhantes dentro de uma determinada área. Mesmo assim, até os proprietários de propriedades individuais devem monitorar suas avaliações. Para saber qual método de avaliação foi usado em uma determinada situação, os proprietários devem entrar em contato com o escritório de avaliação local.

O que são Imóveis e a Lei Imobiliária?

Definição de Imóveis e Lei Imobiliária

A definição legal de imóveis ou imóveis é, a terra e as construções nela. As leis imobiliárias estabelecem quem pode possuir e usar a terra.

Este conceito simples inclui uma ampla gama de diferentes disciplinas jurídicas. Primeiro, os imóveis devem ser residenciais ou comerciais. Pode ser de propriedade de uma pessoa, mas usada por outra pessoa através de um contrato de aluguel. O terreno pode ser comprado ou vendido e, devido ao seu alto valor, existem muitas leis locais que garantem que as transações imobiliárias sejam devidamente realizadas e registradas. A terra também pode passar entre membros de uma família por meio de planejamento imobiliário ou pertencer a mais de uma pessoa. Finalmente, os governos locais e estaduais têm regras sobre os propósitos para os quais a terra será usada - por exemplo, cada terreno deve ser usado de acordo com as leis locais de zoneamento e os proprietários dessas terras não devem danificar as terras do ambiente que os rodeia.

Termos para saber


Título: Um termo legal que descreve quem é o proprietário oficial da propriedade.

Hipoteca: Um empréstimo que cobre o valor da casa. O novo proprietário deve dar ao credor a propriedade parcial da propriedade como garantia.

Encerramento: O processo pelo qual o credor assume o controle da propriedade, se o proprietário falhar ou não pagar a hipoteca.

Fechamento: A reunião ou reunião, em que a propriedade é oficialmente transferida para seu proprietário.

Garantia: Dinheiro ou propriedade retida por um terceiro desinteressado para custódia ou guarda.

Agente imobiliário: Um profissional licenciado para negociar e realizar transações imobiliárias.